Uso de aminoácidos em plantas sob estresse

 em Sem Categoria

 

Os aminoácidos são constituintes primários das proteínas, dos 300 tipos existentes apenas 20 atuam nessa finalidade. Nas plantas eles atuam na composição de proteínas vegetais, como metionina, lisina, glicina e ácido glutâmico.
Seu uso na agricultura vem tornando-se mais frequente, principalmente como aditivo em aplicações foliares, como formas de estabilizantes de formulação e durante a aplicação de defensivos.

Segundo Castro, 2009 os aminoácidos podem ser englobados no grupo de antiestressantes, compostos capazes de agir em processos morfofisiológicos do vegetal como precursores de hormônios endógenos ou como ativadores de enzimas e da disponibilização de compostos capazes de promover tolerância a estresses. Esses compostos são descritos como produtos que podem reduzir o uso de fertilizantes, aumentar a produção, resistência e tolerãnica ao estresse causado por temperatura e déficit hídrico, principalmente.

A aplicação de aminoácidos em feijão vem apresentando resultados. Estudos concluíram que, após o uso de aminoácidos, as plantas resistiram melhor ao estresse térmico, tanto em altas quanto em baixas temperaturas, e também mostraram um incremento em altura de planta, número de vagens e massa dos grãos. (CASTRO et al., 2011).

Aminoácidos vêm sendo usados também como aditivos na aplicação de herbicidas. Um estudo realizado com glifosato, ao analisar plantas que foram submetidas ao uso de glifosato juntamente com aminoácidos (Figura 1), notou-se que a altura das plantas não foi diminuída e nem o seu nível de clorofila, concluindo que o aditivo teve efeito antiestressante após as aplicações. O uso dos aminoácidos também resultou no aumento da nitrato redutase, de proteínas totais solúveis, além de diminuir o teor de lipídeos nos grãos (LAMBAIS et al., 2011).

 

Referências bibliográficas:

– CASTRO, P.R.C.; MACEDO, W.R.; LAMBAIS, G.R.; MANSANO, S. R. Ação anti-estresse de Flororgan em feijoeiro (Phaseolus vulgaris cv. Carioca). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOLOGIA VEGETAL, 13., 2011, Búzios. Resumos… Búzios: UENF, 2011. 1 CD-ROM.

– Castro, P,R,C. Principios da adubação foliar. Jaboticabal: FUNEP, 2009. 42P.

– LAMBAIS, G.R.; MACEDO, W.R.; ROSSI, G.; MENDES, S.L.; CASTRO, P.R.C.; MANSANO, S.R. Evidências fisiológicas e enzimáticas nas plantas de soja em resposta a aplicação foliar de Flororgan. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOLOGIA VEGETAL, 13., 2011, Búzios. Resumos… Búzios: UENF, 2011. 1 CD-ROM.

 

 

Disponibilizamos também o arquivo PDF desse artigo, clique aqui para fazer o download do material.
 

 

Postagens Recentes